• andreaespasa

Pilates na lombalgia

A dor lombar, também conhecida com lombalgia, é um sintoma, não uma doença, extremamente comum e vivenciado por pessoas de todas as faixas etárias.


É definida pela localização da dor, tipicamente na região dorsal entre as margens das costelas inferiores e as dobras glúteas inferiores. É comumente acompanhada de dor em uma ou ambas as pernas e algumas pessoas têm associado sintomas neurológicos nos membros inferiores.


Estudos mostram que 80% da população mundial apresentará pelo menos um episódio de dor lombar durante a sua vida, sendo que 90%dessas pessoas apresentarão mais de um episódio, e 40% poderão se tornar crônicas. Apesar desses números, um diagnóstico específico sobre possíveis causas da dor lombar não é determinado entre 90-95% dos casos, uma vez que a dor lombar apresenta caráter multifatorial.


A literatura científica tem demonstrado que o exercício físico é uma das opções terapeuticas mais utilizadas e eficazes para o tratamento da dor lombar. Na última década, dentre os diferentes exercícios, o Pilates se tornou um grande aliado para o tratamento desses pacientes.


O método Pilates foi criado por Joseph Humbertus Pilates, nascido em 1880 na Alemanha, que sofria de diversas doenças como asma, raquitismo e febre reumática. Devido a isso, em meados da Primeira Guerra Mundial, desenvolveu o método, que se baseava em movimentos utilizados na ginástica, yoga, dança e artes marciais. Com esse grupo de movimentos relacionados, conseguiu aperfeiçoar uma série de atividades que focava no corpo como um todo, e que tinha como objetivo principal fortalecer a musculatura do abdômen e paravertebrais, além do ganho de flexibilidade.


Primeiramente, o método foi testado e utilizado em camas de hospitais por meio de molas, para adquirir força, resistência e condicionamento físico de pessoas hospitalizadas. Posteriormente veio a ser utilizado para diversos fins.


O método é baseado em alguns princípios básicos, como concentração, centro de força (power House), controle, precisão, fluxo e respiração, sendo este considerado o principal durante a execução do exercício. O método Pilates vem sendo cada vez mais procurado para prevenir e reabilitar lesões, melhorar o condicionamento físico e a flexibilidade, reduzir o estresse, tratar alerações posturais, entre outros.


Com isso, torna-se uma ferramenta para reabilitar diversas lesões e patologias por meio de uma série de exercícios que variam os níveis de dificuldade e que podem ser adaptados conforme a habilidade e limitação de cada indivíduo, além de poder ser realizado por todas as idades, fazendo-se um coadjuvante na reabilitação e uma opção de modalidade de exercício físico para manutenção da saúde física.


Fisioterapeuta Erica Almeida



23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo